A evolução do News Feed

«Fui para Nova Iorque faz três m-»

«Sim! Vi suas fotos no celular! Gostou?»

 

Nos princípios dos 2000, essa maneira de responder não teria feito sentido nenhum. É mais, tal reposta poderia chegar a assustar ou dar um sério motivo para preocupar-se pela seguridade pessoal. Mas atualmente, não nos preocupa para nada porque é uma resposta completamente normal segundo o contexto moderno. Mas como podemos aceder tanta informação pessoal (que não tem a ver connosco)?

O News feed do Facebook é uma verdadeira maravilha. Presenta as «manchetes» de todas as pessoas que compõem sua comunidade no seu ecrã. Já não importa se sua amiga fica noutro continente ou se seu irmão foi para o estrangeiro para trabalhar, se quiserem, podem publicar momentos das suas vidas no Facebook e todo o mundo perceberão com só uma mirada ao seu News feed. Hoje o News feed é um algoritmo complicado e cuidadosamente desenhado trás realizar muitas pesquisas sobre os usuários, mas como tudo neste mundo, não começou assim.

Há 11 anos que lançaram o primeiro News feed em 2006. Nas suas primeiras etapas o conceito de um fluxo contínuo era ainda novo e foi um algoritmo simples que gerava sumários das atividades dos amigos no Facebook.

 

 

 

Lo que Mark Zuckerberg News Feed parecía en 2006.

 

 

Em 2007, introduziram umas mudanças ao News feed com a adição de publicidade direcionada. O Facebook Beacon era chave para o departamento de publicidade do Facebook porque recolhia informações dos sites externos sobre os usuários com o fim de personalizar os anúncios. Então se alguma vez tem suspeitado que os anúncios no seu Facebook eram surpreendentemente precisos em quanto seus gostos, já sabe porquê.

Foto: http://www.abc.es/media/tecnologia/2016/09/11/facebook2-kRnE–510×[email protected]

 

Vamos saltar ao ano 2012 no que o Facebook começou com as publicidades «destacadas» («Featured Posts»). Essas publicidades destacadas se diferenciavam das outras porque em lugar de gerar-se pelos gostos do usuário, se derivavam pelos gostos da comunidade do usuário.

Foto: https://www.simplyzesty.com/getmedia/c21b7bb6-12e6-497a-bbd0-5828e7d73d48/Screen-shot-2012-01-11-at-07.45.08-765×444.png.aspx

 

No ano 2014 a comunidade de Facebook viu várias mudanças mais no News feed. Uma delas, e possivelmente foi uma das mudanças mais apreciadas, foi as novas opções disponíveis para o usuário para personalizar seu News feed a sua maneira. Em novembro, já podiam optar por receber ou não receber notícias de pessoas especificas no seu News feed.

Foto: http://www.cuentamelared.com/wp-content/uploads/newsfeed.new_.png

 

No ano seguiente, o Facebook passou ainda mais controle aos seus usuários com a opção de escolher os temas das primeiras publicações dos seus News feed. Começou também pesquisar mais sobre os gostos dos seus usuários e o tempo que dedicavam a eles para criar uma rede ainda mais relevante e interessante para cada um deles.

 

 

E por fim no ano 2016, o Facebook mudou o algoritmo de novo para tomar em conta as tendências dos usuários não somente no Facebook senão em sites externos também. Além disso o Facebook atual conta com muitos ajustes que combatem problemas que tem surgido nos últimos anos. À luz da explosão de caça-cliques e notícias falsas, introduziu mais filtros para resolver os problemas que provocavam para seus usuários.

 

Em fim, é muito fácil esquecer as origens das coisas que hoje formam parte da nossa vida quotidiana. Mas quando vemos o News feed na sua totalidade, lembramos seu início simples e podemos apreciar (ou preocupar-nos por) todas as mudanças que se realizavam para criar um Facebook cada vez mais integrado e útil na vida moderna.